Corpos de prazer

Sigo o perfume encantado do teu corpo, caminho que desenhas ao passar por minha alma. Encontro a essência de mulher que me ofereces nas curvas do teu perfil. Sou pássaro, em voo livre sobre o espaço, seguindo cada rasto que me deixas quando passas por minha vida. Sou cometa que derivo em pleno cosmos, seguindo tua estrela brilhante.

Saboreio o gosto da tua pele, como se fosses mel, perco-me recreando-te em cada detalhe ínfimo de teu regaço, sabendo que és minha eternamente. Meus dedos são cascatas de água agitada que em teu ventre mergulham na inconstante procura do prazer que me entregas, como forma única de olhar, brilho incessante, onda em pleno mar.

Sabes bem como te quero, conheces em mim o desejo, fogo eterno e desmedido que num abraço te entrego. Conheces o meu corpo, como detalhe exacto de ti, percorre-lo em pequenas gotas de chuva que salpicam minha pele, arrefecendo-a, contendo nela toda a urgência, mantendo em ebulição esta estrela interior que se fecha em meu peito. Sabes bem o sabor de um beijo, como último lampejo dum instante em que foste apenas e só minha.

Neste silêncio de palavras te escrevo, num livro interminável de desejo, que sabes, seguro, sustenho, na ponta dos dedos. E tu ficas quieta, em teu mundo perpétuo, lendo-me, adivinhando cada toque que te escrevo, sonhando com esse lugar onde tudo seria perfeito.

3 comentários:

lia disse...

"Porque não voas?"
Há alturas na vida em que temos de voar. Não se sabe como nasce esse impulso; porém, sentimos esse impulso, nasce e temos de responder a esse impulso... pode determinar a nossa vida... E esse impulso só acontece uma vez, e é quase imperceptível...e nós não entendemos os sinais do impulso. Talvez, às vezes, possamos voar. E ocasionalmente temos de fingir que o mundo é como os outros pensam que o mundo é."
Batista-Bastos - No interior da tua ausência

Layara disse...

Encantada e Luxuriantes imagens,sem economia de palavras.
Eu minimalista.
Com palavras ao vento!

Beijo Lilás!

Sonia Schmorantz disse...

"Conte a sua história ao vento,
Cante aos mares para os muitos marujos;
cujos olhos são faróis sujos e sem brilho.
Escreva no asfalto com sangue,
Grite bem alto a sua história antes que ela seja varrida na manhã seguinte pelos garis.
Abra seu peito em direção dos canhões,
Suba nos tanques de Pequim,
Derrube os muros de Berlim,
Destrua as catedrais de Paris.
Defenda a sua palavra,
A vida não vale nada se você não
viver uma boa história pra contar."
(Pedro Bial)

Na impossibilidade de entrar em detalhes, como eu gostaria imensamente como todos amigos que tenho, venho trazer um pouco de poesia e desejar que seu domingo, sua nova semana seja de mil cores, que tenhas muitas alegrias!

Um abraço

Sônia