Manhã

Abro lentamente os olhos, a manhã desperta-me, acordando-me para a vida. Sinto a tua pele roçar a minha, teu corpo estende-se junto ao meu, como areal que prolonga minha praia. Sinto a frescura do teu rosto aconchegar-se em meu peito, como a brisa do mar. Sei de cor cada pedaço de ti que meus dedos feitos de luz percorrem. Conheço o silêncio desta manhã, num despertar suave, num abraço de corpo que se prolonga no tempo.

Abres os teus olhos, iluminas todo o quarto como se fosses um Sol, espalhando raios de luz em todas as direcções. Despertas com o fogo do teu corpo que se enrola no meu e me chama, como se precisasse de matar a sede de séculos. Formamos um só ser, feito de corpos separados, mas tão unidos que se confundem um no outro. Os sentidos agora despertos levam minha boca à tua boca e meus dedos não se perdem agora em desenhos simples sobre tua pele mas adentram-se, aninham-se entre as partes mais erógenas do teu próprio corpo que é agora meu, nosso.

O cantar dos pássaros e a brisa fresca desta Primavera testemunham o êxtase do nosso amor, quando de corpo e alma no entregamos ao prazer de nos darmos prazer. Este jogo de carícias, estímulos e vontades, culmina num abraço de corpos apertados, perfeitamente encaixados em si próprios, gemido suave de luxúria que se desprende em mil palavras que calamos dentro do peito.

Fico em ti, acariciando teus cabelos e vendo-te adormecer novamente, com um ligeiro sorriso nos lábios.

2 comentários:

lia disse...

Eu tinha rimas nas palavras desenhadas,
encantos nas escritas inventadas,
prazer nos recônditos pensamentos,
jogos desconhecidos de sentimentos.
Tu chegaste. Ensinaste-me o silêncio. Contemplar-te é prazer que baste. Emudeço humilde perante teu gesto. Inundação que me leva as palavras. Palavras que ainda nem planeara usar.

Layara disse...

Esse é o perfeito encontro,feito de sonhos entremeados de carícias da alma e pele do outro.Esse sentir a não mais poder da dor que cala no abismo interior de nós,quando esse sentir faz-se apenas de pensamentos.A manhã, o passar dos dias,o entardecer,noites e madrugadas, perdem-se em sentidos.
Oxalá, Poetas proporcionem-nos essa catarse luxuriante de palavras que exprimem a priori, sentires tão nosso.

O abraço apertado culmina sempre em um outro encontro e outra partida.

Um Beijo Lilás!